domingo, 19 de outubro de 2014

do que é raro


a raridade do céu
quando toca a nota sol
e dança incessantemente
alguma eternidade
num tempo sem tempo
sem reação
apenas a canção 
do mistério,
do silêncio em desejo do agora
para sempre...





















Um comentário:

Suzana Martins disse...

Em silêncio, absorvo o céu, e brinco de nuvens que sussurram sentimentos em mim...

Beijos!!!

Tão bom voltar aqui!!^^