domingo, 30 de novembro de 2014

Como concha


pintura de Silvia Marieta 
(desafio de imagem da Tania Contreiras)

como concha
ele não se abre 

como os mares
lhe sussurram nos ouvidos
a esperança de sonhar

não diga que nunca 
houve recolhimento
na tua jornada

como concha
o silêncio o sussurra

como concha 
ele canta seus mares

Nenhum comentário: