terça-feira, 18 de agosto de 2015

Poema ou Pó de contentamento

viraste pó de contentamento
em espiral de múltipla viagens
e gira como a inspiração
em constante respiração
a expirar tudo o que foi contido

viraste lágrima de sorriso infindo
em círculo perdido
já não tens imagens pronta
és energia pura, esperança declarada,
silêncio macio, paixão renegada
e não é preciso dizer mais nada



Nenhum comentário: