quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Diálogos fictícios de dois perdidos de amor, paixão ou outra coisa qualquer



Bruna - Porque amor você não disse logo que me amava para eu não ter dúvidas.

Pedro- Eu não sabia Bruna que te amava, eu nunca soube se o que sentia era amor ou paixão ou outra coisa qualquer. 

Bruna - Vamos combinar que na próxima vida você irá atrás de seus sonhos e eu também. Sem desviar de nosso caminho. 

Pedro - Nessa vida não foi e na próxima não será também. Não vamos viver na ilusão do que poderia ter acontecido, não poderia. Simplesmente não poderia. Seja Deus, o Diabo ou o acaso não poderia ter acontecido o que nunca aconteceu. E se tivesse acontecido quem sabe estaríamos muito pior, o mundo podia ter explodido, você podia ter estado numa pior afogada em algum canto. Então Bruna meu amor não podia ter acontecido, não podia.

Bruna - Tens razão Pedro. Não podia ter acontecido. Está tudo bem como está. Você está bem, eu estou bem. Só sinto falta de sei lá o quê seja amor, paixão ou outra coisa qualquer.

Pedro - A insatisfação alimenta a insatisfação. 

Bruna - Quando você ficou tão sábio?

Pedro - Foi quando te perdi.



Nenhum comentário: