Música!

sábado, 26 de dezembro de 2015

Diálogos Fictícios: Monólogo


- Pedro eu não vou mais correr contra o tempo, contra a correnteza, contra as ondas que querem me levar para longe, bem longe de ti. Dessa vez vou aceitar o meu destino, a minha tristeza de não te ter perto de mim, a minha felicidade de estar onde estou, de ser quem eu sou, de as vezes ser quem não sou também. Eu vou aceitar que você já foi embora e não existe nada que eu possa fazer que eu já não tenha feito para recuperar o tempo perdido. Vou aceitar que eu te amei a minha maneira e parar de evitar o que eu sinto. Eu vou aceitar que o tempo se foi e que eu só posso voltar nele na lembrança como uma forma de esperança. Vou aceitar porque tentar evitar só me causará mais sofrimento.  Eu vou aceitar meu caminho com lágrimas, com sorrisos, com tédio, com emoção. Seja o que vier e como vier. Eu vou aceitar. Vou ser mais fiel a mim mesma e aceitar que eu nada sei da vida, da morte, do amor, da dor, dos sonhos, da realidade, enfim de tudo. Eu não sei nada e se pra você pareço saber algo é porque você me pintou de alguma cor que não é a minha cor de incógnita, indefinível. Eu vou aceitar também que tudo não passou de uma ilusão e que a realidade é muito difícil para lidar. Eu vou aceitar simplesmente aceitar e talvez assim eu seja mais fiel ao que sou, ao que fui, ao que serei um dia quem sabe.

*

Nenhum comentário: