domingo, 20 de dezembro de 2015

Diálogos fictícios: No limite

Bruna - Pedro vou ficar uns bons anos sem escutar músicas com letras de amor, dor ou qualquer letra que seja. Elas exercem um poder quase hipnótico sobre mim. Parece que são todas pra mim. Como se eu fosse o umbigo do mundo e o mundo girasse ao meu redor.

Pedro - É só você saber disso que não é o umbigo do mundo e pronto pode escutá-las.

Bruna - É maior que eu Pedro, não consigo controlar as vezes. Só música instrumental, de línguas que eu não saberei decifrar e orquestras a partir de hoje até sabe-se lá quantas décadas.

Pedro - Que pena Bruna!

Bruna - É para a minha sanidade Pedro. Tenho que reconhecer meus limites.

Um comentário:

Ana disse...

As vezes também tenho esse probleminha Lú.

Beijinho