sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Diálogos fictícios: Quebrado


Pedro - Naquele instante quando ainda você me amava Bruna, quando eu ainda alimentava seus sonhos, quando eu ainda tinha coragem de te enganar, naquele instante o mundo parecia tão mais bonito Bruna.

Bruna - Não Pedro, não era. Era insuportável e você sabe disso. Porque você insiste em recordar o que é insuportável faz parte da natureza humana. Focamos muito mais nas tragédias do que nas alegrias. Porque você acha que os jornais estão cheios de notícias ruins? Todo homem adora uma tragédia, um drama, uma história triste para contar. Agora não venha me falar que era bom, porque não era. Não foi bom e eu tive que florear a memória para a lembrança se tornar suportável. Porque na verdade foi o inferno. E nós dois sabemos que foi e agora está quebrado. Quebrado, partido, sem concerto. Sem palavra, presença ou música que nos cure.

Pedro - Você adora uma tragédia né Bruna?

*

Nenhum comentário: