quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Do bulbo que cresceu na varanda e virou broto, flor, vendaval II

era preciso escutar a prece silenciosa das flores
o quanto a vida fazia um esforço para nos fazer sorrir
era preciso também sorrir a beleza das flores
celebrar o crescimento da nossa natureza
observar e agradecer a energia que emana a vida
da natureza simples dos Seres em eterna gestação 
era preciso além de tudo quebrar com padrões mentais
que não seguem o curso da transformação 
 isso leva uma eternidade para ser concretizado
na realidade da impermanência a vida não para
e é preciso seguir
porque os Seres amam ainda que os seres não amem

 

Nenhum comentário: