sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Prosa de doce sincronia


Uma bela sincronia como Jung já dizia que tudo ocorre em sincronia. E isso é belo também e a beleza tem seus mistérios dançando em sincronia uns com os outros, em um baile imenso que o coração humano muitas vezes não consegue captar. Principalmente quando os olhos estão cheios da poeira da estrada, mas podem estar cheios de purpurina também. Seja poeira ou purpurina a vida nos ensina a caminhar e é preciso seguir com os passos atentos, os olhos voltados para agora, o coração voltado para Deus em oração de amor e devoção pelo caminho escolhido. Agradecendo a cada passo dado e cada passo que será no futuro. Um futuro recheado da certeza de ser a vida um encontro constante com Deus. Esse que está em tudo e que anima tudo, bate nos corações dos homens, é luz que brilha nos olhares, é sorriso que alimenta alegrias, é beleza de natureza infinda, é vento, é chuva, é sol, é poesia, é música, é lágrima cujo mar limpa toda poeira que quer nos fazer passar com seus vendavais aquilo que passou. É tanto que nem cabe aqui e cabe também naquele pedacinho ínfimo na palma da tua mão, na sola do teu pé, na pele, no sangue, na palavra, no silêncio. No senhor silêncio que tudo abriga e tudo nasce dele. Nascem uma infinitude de seres e coisas que as coisas são seres querendo ser Deus para nos revelar a graça do encontro em encontrar qualquer pedacinho da verdade ou até de ilusão que a ilusão é a verdade revestida de nuvens que atrapalham a visão, mas que também são Deus. Deus, poesia, energia, mistério ou qualquer nome que você queira dar para isto que corre no teu olhar, no teu coração, no teu ser e agora serena como uma prece em suspensão no ar. Vendaval, redemoinho, chuva que insiste em te dizer que a vida é boa pra valer e que só você pode escolher o caminho que vai te levar à compreender que a poesia nasce de tudo e em tudo emana e se espalha, como as ondas sonoras de um radio que querem encontrar uns ouvidos para serem escutadas. Então quando eu te disse que vale a pena. Vale sim, tudo vale poeira ou purpurina a vida ensina. E só quem tem Deus no coração saberá compreender seu sinal. E todos temos Deus no coração, só é preciso aceitar seu nascimento, seu surgimento apesar dos pesares de todo e de qualquer sofrimento. Independente de religiões, independente das paixões que te devastaram no meio do caminho. Lembra? A pedra de Drummond é pedra de luz! É pedra que nos anima e nos dá sentido ao caminho. É as vezes somente a pedra que nos impulsiona a viver e ver o que lá reside. O caos que insiste em nos amar feito redemoinho que não para para nos empurrar para frente. Por isso não deixe para mais tarde a poesia, o mistério, o amor, a música, a luz, o presente entrar em ti para te banhar de cócegas o coração, de beleza os olhos, de música os ouvidos, de silêncio a solidão, da infinitude, da eternidade. De preces de paz em união. Percebe que tudo quer se encontrar contigo, que tudo tem seu encaixe do que é vivo e brilha? Até o ar meu amor quer te encontrar como tua inspiração e até o ar que respiras faz dança nos teus pulmões. Até o coração canta e dança dentro de ti, até o sangue corre a dançar feito rio dentro do seu ser a alimentar a chama que acende e bate com seus tambores a glória de existir. A semente que nasce, cresce e floresce exalando toda sua beleza. Por isso não desperdice, limpe a poeira dos olhos e busque o verdadeiro encontro a nascer constantemente no mundo como que repentinamente a luzir em tudo, em todos e até em ti. Percebe que não nos cabe julgar, que só nos cabe amar e apreciar a dança sendo este ser que quer dançar também com tudo ao se encontrar com Deus e seus sublimes mistérios na palma de sua mão e também no teu coração? Percebes agora porque a pedra se encontra no teu caminho? É pedra de luz para brilhar teu caminho. É também pedra que se encontra dentro do teu coração. Aceite isso e sua vida será mais leve. Aceite isso e poderá voar e a pedra não será mais pedra. A pedra será etérea e revestida de poesia, de música, de mares, de sóis, de estrelas, de Deus.

*Paz e luz! 
 Luiza Maciel Nogueira


Um comentário:

AC disse...

Leio alguns dos textos deste "Versos de luz" e... observo, encantado, uma mãe a conversar com o seu filho, a tentar explicar-lhe a complexidade da vida.
Um belo quadro, Luiza.

Um beijinho :)