terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quem

Quem será que me germina?
Arada a terra e me compõe.
Quem dentre tantos edifica o pranto
que me cai nos olhos sem tanto
sufoco tato disparato.
Quem que desses faz um jato
sob a pele que tanto fere
prende cala digere
a mágoa que no tiro profere.
Quem dentre aqueles 
com fato tato adere 
tal qual raíz que a flor confere.

Quem dentre aqueles digere
que o absurdo nos fere?


Luiza Maciel Nogueira


* Inspirado em um desafio proposto por Tania Contreiras Arteterapeuta sobre um poema de Renan Sanves intitulado "O hóspede despercebido". 

Arte de Rene Magritte 
 

2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Perguntas difíceis.
Gostei do poema.
Um abraço e bom fim de semana

Toninho disse...

Boa noite Luiza.
Bem inspirada e questionamento instigantes.
Bom fim de semana com paz e poesia.
Meu terno abraço.