terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sobre sementes que nascem

Virão para teus olhos sementes de encanto apenas e somente se permitir, no entanto poderá vir uma semente em um repente sem que possas resistir e então aproveite. Essas são como flores a crescer nas mãos de quem souber regar o seu lar. 

Infinitas são as histórias que não te contam, estas são essenciais para que você viva. Vida que flui e nem se vê e pouco demais se sente. Não tem nem um segundo que possas voltar, não é apenas ilusão. Não é apenas repetir uma coisa qualquer com muito sentido mas pouco ouvido é a fé.

Em um sonho vi o infinito. Estava na platéia a admirar sem sequer olhar. O amor tem dessas coisas sem explicação quem dirá que isso requer a mais completa fé. Amar sem porque é mérito de quem não sabe a chave que vai abrir a porta. Para onde será que ela vai, a chave para lugar nenhum e o que mais você acredita que não é verdade e é só padrão, prisão da falsa felicidade. É claro tem momentos daqueles que permanecerão contigo para sempre até o sempre não ser mais. 

Quem sabe dessa vez nos acertamos sem precisar falar, escrever ou entender. Sabe eu aceitei essa coisa revoltante que é ser. A única coisa que me faz continuar é a total curiosidade de descobrir a verdade. Por isso faz favor de me dizer como for. 

O tempo não vai parar para eu gritar tudo o que eu queria que todos soubessem e vissem sem precisar falar. Inútil é tentar abrir portas para quem quer ficar trancado sem alimento e sem poesia.

Tenho fé que essa parte não me parta ao meio até o fim para sorrir enfim nesse desesperar fogo eterno alimento de quem não parou para calar a sorte de quem ainda dorme na completa bola do tempo que não fura o olho de saudade daquele tempo que éramos tão naturais, sem tanto artifício, sem tanta distração, tão íntegros. 

Não tenha tanto medo do primeiro ardor é ele que faz multiplicar amor. Diante disso certamente espero suscitar uma boa parada cardíaca em quem quer só raciocinar. Pois me diga de que vale um ser sem será? Facilmente dança nas palavras para explicar o inexplicável de que não existe razão para tais coisas. 

Logo enquanto quer prender, quero libertar de todas as grades, mas quem sou eu mera prisioneira. Abro só aquilo que posso que é a minha porta para além. Inúmeras portas estão aí a serem descobertas a cada dia, hora, a cada presente que nós fazemos presentes aqui. Só nessa pequena porta existirão mãos portas e então a escolha é somente sua atravessar, trancar, ficar parado, abrir o outro lado que te espera calado para que vejas além daquilo que podes ver.

Da infinitude de tudo. Da total incerteza das coisas certas. Da fragilidade do forte e da força da total fragilidade. Pedalei 34 quilômetros outro dia a procura de sabe-se lá o que. Encontrei a inexplicabilidade das coisas simples, dessas que valem a brincadeira de existir. Cheguei a uma conclusão inconclusa: se tudo é um infinito pulsar em aprender a única coisa que faz viver é amar esse eterno aprendizado das coisas simples. Por serem demasiado simples às vezes nos parecem banais, mas não são. A alegria da vida é brincar de aprender e de ensinar. De ensinar a aprender e de aprender a ensinar. De ensinarmos a nós mesmos constantemente a brincar de viver essas coisas que tem o verdadeiro pulsar da vida.

É claro que os grandes acontecimentos nos transformam, mas com os pequenos é nosso dever engrandecê-los e transformá-los em nosso.

Dia vai dia vem e haverá o dia que aprender será tão natural quanto respirar. 

Quanto respirar a poesia de tudo te fará infinitamente mais rico alimentado pela beleza de um mundo em chamas.



Poema da dança da infinitude


vibra qualquer palavra em qualquer sonho
a vida é feita de coisas qualqueres
joga as mãos livres 
pinta, toca, dança, relaxa, brinque
tudo gira em um imenso repente
redemoinhos infinitos
que não cessam de brotar
nascimentos repentinos de estrelas
a infinitude máxima de tudo
nasce em um olhar
e segue a ondular pelo universo
onda sonora de poesia
a tocar os corações sedentos
de entrar no ritmo profundo 
da dança do mundo

 16/08/2016


Nenhum comentário: