quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Da pergunta fundamental



Depois de ver duas vezes a palestra acima e recomendo que leia apenas depois de ver duas vezes a palestra (se possível), compartilho aqui minhas anotações por considerar uma palestra fundamental para a evolução do homem e quem sabe em um futuro próximo mais pessoas não possam se beneficiar tanto dessa palestra como dessas anotações.

O que Krishnamurti nos ensina neste vídeo é – qual é a natureza do conflito entre os homens, entre o fato de o homem continuar criando guerras tanto internas como externas pois o externo é uma projeção do interno. Nisso ele nos leva a pensar que a natureza do conflito reside no fato que somos condicionados por nossas experiências, memórias, conhecimentos. Que o conhecimento é um condicionamento e a natureza do condicionamento é a experiência – uma repetição de certa tradição, que não deixa de ser uma série de memórias, um processo que isola e o isolamento é a natureza do conflito. Quando existe um hiato entre a percepção da ação a ser realizada e as implicações do medo de realizar essa ação – daí nasce o conflito. Entre aplicar o que consideramos verdadeiro e os medos dessa ação desse paradoxo surge esse intervalo de tempo que é o conflito entre a percepção e a ação. Desse modo ele chega a uma solução para o conflito como a aplicação imediata da percepção sem esse hiato de “MEDO” (que é condicionado por memórias/conhecimentos), nos traria a paz.     

Krishnamurti aborda também que somos memórias, ou seja passados projetados no futuro que se modificam no presente e que o EGO,MIM,SELF é um movimento de identificação com nossas memórias.

Outra pergunta fundamental que Krishnamurti faz é “Como alguém observa suas memórias?”, observar as memórias e o observador (quem observa) – caso exista divisão entre suas memórias e o observador, existirá conflito! O conflito existe quando existe divisão, solidão e a solidão é um ato de separação, a natureza do conflito.

Como Krishnamurti afirma “viver pacificamente exige muita inteligência”, um observador ativo e consciente de sua unidade com o mundo.
Concluo aqui a importância da investigação de como ampliar a capacidade do homem nas diversas áreas mencionadas pois é possível ampliar a consciência do homem sim,  consideramos impossível apenas porque estamos condicionados à descrença.

Pergunta fundamental como aumentar a capacidade cerebral do homem?

- através de:

- Alimentação – Sim, é comprovado cientificamente que a alimentação tem influencia no humor/disposição do homem, assim como o açúcar, a cafeína e diversas outras substancias que podem deixar o homem mais influenciável, maleável, “alegre”.   

- Música – sim, a música tem um papel importante tanto em expandir a consciência, quanto aliená-la, quanto influenciar através de mensagens, palavras, sons, no entanto é preciso treinar o “escutar ativo” para cada vez mais usufruir desses benefícios, mas acredito que é possível uma música que faça o homem aos poucos ficar cada vez mais ficar mais ativo, consciente de si/do mundo para ampliar sua capacidade cerebral/mental/amorosa/presença no mundo.

- Concentração/ Meditação -  sim, é preciso treinar o ser observador para poder também usufruir dos benefícios da meditação. Em minha experiência com as concentrações e meditações é fácil perder o rumo (em labirintos mentais), no entanto é preciso manter o “observador” ativo para captar o néctar da meditação que é o estado de união com tudo e isso se alcança somente com treino mas também é fácil “ser condicionado” a entrar no labirinto e não experimentar o estado de união e é muito fácil se enganar/projetar conteúdos. Desse modo nem sempre digo que a meditação como concentração pode ser o melhor caminho – cada um pode escolher o que melhor lhe serve no momento, não excluindo os benefícios dessa técnica que como as outras pode ajudar em muito o homem a expandir sua capacidade.  

- Exercícios físicos, Asanas da Yoga – sim, os exercícios da yoga (asanas), assim como os exercícios físicos influenciam na vida dos homens liberam endorfinas, etc. No entanto também podem ser apenas repetidos sem "vida", como um vício caso não exista presença em quem realiza. 

- Leitura/Arte/desenho/escrever – sim a leitura é fundamental lança luz no que antes não se via, no entanto é preciso de um leitor ativo e consciente para usufruir mais amplamente dos benefícios da leitura. Quanto à arte é preciso que exista um observador ativo e consciente também, quanto ao desenho/escrita o mesmo é uma ferramenta interessante ao dar luz ao que antes estava inconsciente/subconsciente. 

- Uma conversa/ um encontro/uma aula - da mesma forma é preciso uma escuta ativa, um orador ativo para tanto o aprendizado quanto o compartilhamento desse aprendizado e aprender ao ensinar também. Enfim, é preciso essa abertura para o encontro acontecer.

- Conclusão: tudo pode influenciar a capacidade do homem, no entanto o homem precisa estar fundamentalmente presente para captar mais amplamente os benefícios dessa expansão de consciência e para isso faz-se necessário a investigação ainda do que exatamente poderia fazer com que o homem fique realmente presente e de fato aprenda da melhor forma com suas memórias/experiências/conhecimentos?   


2 comentários:

Gugu Keller disse...

Aprender a aprender é o grande aprendizado.
GK

Marta Vinhais disse...

Aprendemos a escutar, a ler,a observar, a interagir com os outros...
Todos os dias, toda a vida.... Mantém-nos alerta, interessados...
Obrigada pela partilha... Obrigada pela visita
Até já
Beijos e abraços
Marta