segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Poema de entrega em flor

 

a entrega quando é
sabe-se ao sabor da música
quando o todo dança em tudo
a luz faz a morada nos sentidos
e sem perceber se despe
em sorrisos de pássaros até os dentes
a povoarem a pele da ternura
de querer sempre mais
daquilo que nos fará dançar
cada vez mais
sem explicação e sem lamentos
com música, arte e poesia
no lar onde se escuta
O infinito!



*


3 comentários:

Gugu Keller disse...

Que a entrega a trégua à entranha traga.
GK

AvoGi disse...

Entrega r-se a música as artes é um início
Kis :=}

Julia Tigeleiro disse...

Que lindo Luiza.