quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Do último poema

 

sem tantas palavras
mas uma infinidade de sensações
sem tanto adeus 
mas um para sempre
recheado de agoras 
antes a vida não era
apenas passava
agora a vida é sempre
abraço o que vier
passo quando o beijo do já
infinita a vida
saboreio o íntimo pulsar do mundo 
em lugar da triste espera
infinitei a alegria de amar
sem tantas palavras
e sem nenhuma explicação
a poesia faz morada no silêncio 
faz ninho de maravilhas na pele
depois desse poema
não te direi mais nada
as maravilhas são pássaros 
que voam na alegria de voar
enquanto o amor é o ar, o sol, o céu 
que permite voarem as maravilhas

5 comentários:

Gugu Keller disse...

O a ser dito, além de muito, é muito louco. O como, além de estulto, muito pouco.

GK

Elvira Carvalho disse...

Belíssimo poema, amiga. Às vezes, o sentimento é tão grande que as palavras são demais.
Um abraço

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Lindo!... Encontrei nova luz
A iluminar poesia.
Bendito seja este dia
Vendo versos que seduz

Minha alma e também induz
A fazer versos, diria.
Por isso a minha mania
De a beleza fazer jus.

Gostei do belo poema
Do conteúdo e do tema
Que à alma é alimento.

E parabéns! A extrema
Razão da luz é suprema
A todo o meu sentimento.

Grande abraço. Laerte.

Marta Vinhais disse...

No silêncio... dizemos tudo....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Julia Tigeleiro disse...

As palavras às vezes ferem, magoam e mentem.Os silêncios são de ouro basta o coração estar atento para o entender. Um beijo minha querida.Tenho pena de ter tão pouco tempo para a ler e saborear, porque por aqui tudo é tão belo.