segunda-feira, 20 de março de 2017

Diálogo com o silêncio enquanto não falas comigo

enquanto não falas comigo 
converso com o silêncio 
que me corresponde sempre 
a medida de mim 

ele me compreende 
tão completamente 
que qualquer palavra 
é excesso excelso 

é que nenhuma palavra 
nos será suficiente 
nada nos salva meu bem 
é cada um por si

eu quis te dar a mão
mas você quis cair
então caia e crie asas
um dia voltaremos para a casa


(Luiza Maciel Nogueira)



6 comentários:

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Enquanto esperas a fala
Do teu interlocutor,
Dá-me um tempo, por favor
E ouve quem não se cala.

À tua suposta sala
Deixe-me entrar e supor
Que nós falemos de amor
Onde a loucura se instala

Assim brindemos à mesa
Um bom vinho com a certeza
De um brinde à alegria.

E como em sonho, Tereza
A nossa ilusão acesa
Dará luz à fantasia.

Grande abraço. Laerte.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Solo - Uau! Sabes versar com a exatidão da palavra! Abraço!

Julia Tigeleiro disse...

Que lindo Luiza.Beijinho.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Grata Júlia! Um beijinho!

Agostinho disse...

Gostei de ler este poema de desamor. Tem no seu cerne o silêncio que, como sabemos, poderá ser demolidor se não houver outras expressões.

Casa casa com asas
mas há asas fogem
de casa

Tudo de bom, Luiza.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Grata Agostinho! Um beijo.