Música!

domingo, 18 de junho de 2017

Das viagens da mente

Arte: Salvador Dali
 

procurei subir todos os degraus
mas farta de subir 
sem encontrar-me desisti 
na metade do percurso cai
visitei o chão que de tão duro
se tornou macio
se eram nuvens cai de novo
dessa vez a queda foi fatal
mergulhei num oceano 
desses que te puxam para baixo
nas profundezas desse mar
descobri meu desesperar
tubarões, polvos e monstros marinhos
de repente alguém me pescava
e sem peixe ser fui fisgada
no canto de um barco
era a ternura que me chamava
no barco não tinha pescador
fui peixe, fui pescadora, fui pássaro,
e atirei em mim mesma 
no momento exato do voo lá no alto
desfaleci 
certos cortes não param de sangrar
pingam gota a gota
até o final da existência 
e de repente acordei
nunca estive na escada, 
nunca estive no mar
nunca estive cortada
foi tudo uma grande viagem
eu sou aquela folha em branco
e o lápis da mente pira em seus absurdos
onde qualquer risco é possível 

Nenhum comentário: