terça-feira, 20 de junho de 2017

Poema dos Mundos, das esferas em eras, dos sistemas solares, milhares

Arte - Salvador Dali 
Galetea das Esferas

mundos tantos vários
obtusos absurdos
esferas em feras em eras
sistemas solares milhares 
luares, pilares circulares
lares, olhares, pomares milenares
galáxias, universos, infinitos
fito dois palitos em ritos ditos não ditos
atritos estritos
fragmentos construtos
insultos impactos
nefastos despertos
abruptos repletos

e se cada palavra fosse infinita?
singela destreza eis a comida na mesa
palavra sensória, palavra escória
palavra da pré-história
palavra, palavra, palavra
bom apetite!

é o mundo que se alimenta de mundos
a palavra que se alimenta do sentido
sentido na veia do dito, não dito
silenciado, perdido
se faz ou não faz sentido?
o leitor distorcerá à sua própria causa
ao seu próprio mundo dentro dos seus mundos
infinitos finitos 
alargados, aprisionados
feios, bonitos
luzidios, sombrios
eis o chamado do escritor:
multiplicai o sentido!
dance a sua maneira o sentido
e se não fez que não faça
é sem sentido que a vida se basta!


*


Nenhum comentário: