quinta-feira, 6 de julho de 2017

Poema dos palhaços que foram enganados

187 desafio poético proposto por Tânia Regina Contreiras
Imagem: Ugo Rondinone

os palhaços foram enganados
Não existe pote de ouro no final
deste pobre arco íris 
A tristeza chega 
Todos dormem 
Gargalham os outros
da ingenuidade alheia 
Os palhaços só querem 
fazer sorrir a infinitude
Sonhar com um lindo sorriso
Abrangente
De parábolas nas íris
Ria para não trovejar
Sonhe para sobreviver
Esqueça para perdoar
e o ouro se multiplica 
quando a ingenuidade
brilha nos olhos daqueles que sonham
Uns sonham com multiplicar sorrisos 
Outros se aproveitam
A prometer potes de ouro
Que no bolso deles jaz
Quando alguém ingenuinamente acredita


Nenhum comentário: