sábado, 8 de julho de 2017

Poema para não ser consumido

e tudo vira produto
para alguém consumir
só tome cuidado meu bem 
para não ser consumido
seu sorriso não é produto
pra ser comprado
nas vendas da felicidade
o simples, o infinito, o pote de ouro
não pode jamais ser comprado
com tudo tenha humildade de aprender
e cada ser que passa te ensina uma sina
mas o único mestre que vale a pena seguir
jaz no coração de cada um
portanto chega de consumir
o que só gerará ilusão e insatisfação
Tome as rédeas! Se liberte!
escute seu próprio silêncio
pouse os ouvidos no silêncio do mundo
no vazio infindo que nos habita
este sim é teu verdadeiro mestre
portanto trate de escutar
pois os tambores vão rufar
Tum tum tum...

 

Um comentário:

Jaime Portela disse...

Brilhante.
Nem tenho mais palavras.
Um beijo, querida amiga Luiza.