Música!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Poema para o mapa dos teus olhos

Quando tiver desaparecido do mapa dos teus olhos 
talvez já esteja no país do teu coração...

assim meu amor
as coisas que desaparecem 
nos habitam em outros espaços 
quando não mais te chamar
quando já estiver distante demais
cansada demais, 
para dizer qualquer palavra 
quando me deixares ir 
caso nunca mais nos encontremos
saberás que estarei em outros espaços 
às vezes é preciso deixar ir as impossibilidades
sorver novos perfumes, caçar novas idéias
deixar a poeira acalmar, 
abandonar algumas certezas
abrir novos pontos de interrogações
não é suposto entender o porque das coisas
vivemos para sorver das infinitudes no vazio
para contemplar o tempo que se vai
nesse instante que escolhemos parir
aquele pedaço de esperança em outros cantos
inimagináveis doçuras nos aguardam
assim é possível que um dia 
eu já esteja na tua infinitude
sem perceberes
pois em mim já habitas desde o início
todo o silêncio 
e os poemas, as músicas, os gritos 
estes são aqueles silêncios 
que formaram teus sons 

08/07/2017

2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Férias interrompidas por uns dias, eis-me de visita aos amigos
Bonito poema.
Um abraço

Luiza Maciel Nogueira disse...

Grata Elvira!! Ótimo regresso! Beijos