Música!

...

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Ode ao Silêncio de uma Alma

(Releitura do poema de Natal de Vinicius de Moraes)

Poema após Oficina com o grande mestre, escritor e poeta Jose Couto:
Ode ao Silêncio de uma Alma fale tudo se quiser e se não quiser digas nada nunca fiz tanto amor com o silêncio o silêncio acaricia, beijos de silêncio brisas gentis nunca o silêncio foi tão luminoso tal qual quando imerso ou submerso no teu mundo lindo e cheio de graça singelo que abraça me ofereceu esse céu cheio de estrelas e pássaros noturnos voando nas asas das estrelas desde esse dia escuto o eco silencioso de seu canto é nesse momento que o silêncio nos beija os olhos e as palavras já não dizem tanto o silêncio nos abraça as orelhas, a pele, o tempo e nada mais importa desde que sorrias quando olhares o firmamento lá sempre dançam infinitudes e o doce silêncio nos aguarda repleto de imensidões assim é a alma de alguns doce estrada de percorrer sonhos Luiza Maciel Nogueira *

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Poeminha Zen

independente de tudo
sempre estarei contigo
você sempre estará comigo
e não importa
não importa
não importa