Música!

...

terça-feira, 7 de abril de 2020

Poema num repente

e se de repente
não mais que de repente
a palavra pudesse ser
um travesseiro para descanso
onde cada um pudesse repousar
nas profundezas de cada verso
e receber um cafuné, 
um carinho, um afago
um beijo nos olhos nús
para revoar um encanto
pássaros em sinfonias, 
borboletas em poesia
e um bocadinho de flores nos olhos
de todas as cores, de todos os amores
para de repente serenar
na serenata desse nosso coração


Um comentário:

AC disse...

Assim, de repente, seria muito mais que um poema.

Excelente, Luiza.

Um beijinho :)