28 de julho de 2021

Poema do que importa


pode ironizar

pode até não me amar

pode inclusive me ignorar

não me importa

só não esqueça do teu sorriso

este revoluciona sonhos

repercurte no ar

multiplica poesia

alimenta esperanças

dentro e fora

redemoinha vidas

pois ínfimos

que dançam na infinitude

espalham sementes

não esqueça do riso

não esqueça não esqueça

resista aos maus humores

invente qualquer coisa

pra gargalhar da dor

e até do mau humor

pra ser amor

e aprender a ser sorriso

por onde for

Ainda que apenas ecoe


ainda que o silêncio ecoasse

em todas as moradas das cores

e todos os sons fossem deglutidos

até o último arrepio da primeira poesia

ainda que as orquestras entrassem em caos

e os instrumentos perdessem seus encantos

ainda que transformassem tudo em sombras

ainda assim te terias a sorrir em mim

a colorir, arcorizar, musicar, revolucionar

todos os sonhos que guardei só pra te dar

quando no espaço a essência deixar só saudades

27 de julho de 2021

Desatem os nós

Desatem os nós que nos prendem à mente.

Liguemos à conexão ao coração.

Onde tudo é amor 

e está aqui só para nos ensinar a amar.

24 de julho de 2021

Fazes da obra que manifestei “Morada azul no encontro lilás”

Caso alguém queira adquirir gentileza me enviar um e-mail. Obra “Morada azul no encontro lilás” 100x80cm manifestada por mim de 10/06/2021 até 23/07/2021 no grupo atualmente online de Pintura Natural conduzido por Ramy Arany. Parte da venda é direcionada à ações sociais da Instituição Filantrópica Ará Tembatayê. 


 

O sol brilha

 


Hoje vamos abrir as portas para receber o que de melhor a vida é a nos oferecer? O sol brilha para todos!

Em cada abertura para respirar com alma abrimos portas para que raios entrem também em outras partes. A borboleta que voa faz repercurtir ventos nas suas asas. Nosso sorriso, nossas asas, nosso respirar valem mais do que pensamos! 

21 de julho de 2021

ECOSIA

 

Se o google não começar a plantar árvores será extinto em muito pouco tempo. Existe um procurador ecológico e precisamos começar a exigir ecologia das empresas. Com algumas simples buscas você pode contribuir plantando árvores! Pare de achar que você não faz diferença e comece a buscar no ECOSIA quando precisar buscar algo pela internet. Exija mudanças! Seja a diferença! Vamos contribuir para um mundo mais ecológico?

Copie e cole em todas as suas redes sociais! Sem nome mesmo o que importa é plantar árvores!

20 de julho de 2021

Se eu levasse a sério

Se eu levasse a sério todas as declarações de amor que sinto que são para mim, já estaria eu a flutuar de tanto amor a transbordar mas levo na brincadeira por saber que nada é pra mim apesar de tudo ser simbolicamente para todos que encontrarem. Então é assim que me defendo da loucura. Nada é para nós apesar de tudo ser para todos nós.


Cerejeira em flor e imagens que já são poesia








 

10 de julho de 2021

Honre


Honre o seu caminho seja ele qual for. Honre seus passos. Honre seu corpo, honre cada alimento, cada respiração, cada pensamento e sentimento. Honre cada pessoa que passa por sua vida as que ficaram, as que moram contigo e as que já foram embora. Honre a si mesmo. Honre seu coração, seu ritmo, seu compasso. 

8 de julho de 2021

Lá na curva

não te vi

mas achei que lá deixamos 

um pouco do nosso amor

pois sempre que lá vou

algo inexplicável me toma 

tão de repente

não sei dizer

é um mistério

que lá na curva está

intocável

as florzinhas dançavam em sintonia

aos sons que nos tocavam

como da vez que vi

não sei porque 

o coração ainda é tão criança

que simplesmente sorri

com as delicadezas


*



6 de julho de 2021

Não sei

Não sei qual desencontro tivemos que a nenhum poema foi nos possível reencontrar. Que as palavras não cumpriram passagem aos olhos e nem ao coração sequer chegaram. Não sei o que é preciso. Não sei mas o cansaço, este cansaço de deixar estar onde se está é de uma beleza singela. E não me atrevo a tocar mais do que isso o que parece quebrar quando chego perto deixo ser distante. Palavras serão insuficientes. Para quem não quer esclarecer mal entendidos deixa-se ser mal interpretado. O que é cruel. Mas a realidade do coração é maior. 

Que a beleza da vida, dos seres, do tempo nos ensine e possamos ser humildes para aprender o que tivermos que aprender para sair do ciclo repetitivo e desgastante do sofrer.

2 de julho de 2021

(Fotografia da Isa - minha filha)


pode ser que palavras nos faltem

diante da sonoridade do intraduzível



30 de junho de 2021

“Para uma pessoa bonita”

 


Hoje deixo as palavras de Shundo Aoyama Rôshi do livro “Para uma pessoa bonita” para vocês pois me tocou de uma forma bonita.

“Yokoyama Rôshi, durante toda a sua vida, admirou profundamente um poeta de Nagano, chamado Toson Shimazaki e o parque Kaikoen,” o parque da nostalgia do passado”, onde sempretocava o apito de capim. Foi ali onde terminou sua vida, vivida sob o signo de uma sorte singular. Nunca me esquecerei de suas palavras, quando o visitei em Kaikoen:

“Quando disse a uma criança que se podia tocar o apito com qualquer folha, ela me perguntou se se podia também tocar com folhas de pinheiro. Eu respondi que as folhas de pinheiro, quem as toca é o vento. À voz do vento que assobia entre as folhas de pinheiro é o som mais belo que existe.

Não é necessário que eu toque as folhas de pinheiro. O vento se encarrega disso. Que as toque eu ou o vento não tem importância, é a mesma coisa. Até quando uiva o vento, é sempre obra do Universo.”

Dessa forma te convido, caso queira entrar em contato com o seu som. Esse que toca cada vez que as coisas te tocam. Com palavras ou sem palavras. Ele é teu. Ouça! E o que não for para nós tocarmos ou para nós fazermos o vento se encarregará de tocá-las. Nós também somos obras desse Universo e tudo vai se tocando de forma que nos despertemos para aprender a tocar a vida e aprender a sermos tocados também. 

24 de junho de 2021

Poema das nuances das nuvens


hoje vou pintar o céu de azul 

faço nuvens e pássaros 

dançarem com os ventos

e com os raios solares 

ao abrirem cores e formas 

das mais variadas nuances

ursos, borboletas, lares, caminhos, 

abraços, beijos e carinhos

se formam e se transformam no céu

o sol derrama suas bençãos

sinta a ginga do momento

pássaros cantam juntos 

e tudo se delicia nesse baile de luz

essa música que ensina 

e que de amor preenche

o nosso caminho

22 de junho de 2021

Poema para colorir mundos



não nasci para espaços em branco

quero colorir o mundo

não estou aqui para silêncios

quero orquestrar nos teus ouvidos

não me interessam vazios

quero preencher com amor

cada minúscula parte da dor

e se não ouvir, não ver e não sentir 

for a tua sina

que seja a tua não a minha

irei para onde ouçam, vejam, sintam

e espalharei para quem quiser

para isso abram a porta

a beleza, o amor, as orquestras

querem entrar


*Esse poema não é meu apesar de ser eu a manifestá-lo, fui mero canal de algo maior sair. Almejo somente ser formiguinha a serviço da consciência se expandir.

Poema de uma tristezinha dançante

essa tristezinha que está a dançar cá dentro desde ontem

quem sabe talvez desde muitas eras

trava um pouco o nosso sorriso

aumenta a sede pelo impossível

atravessamos essas tempestades

pássaros de tristezas que pousam

para nos cantarem suas preces

ouço as preces que dançam e cantam dentro

revoam, orquestram, jogam cores em nós

múltiplos arcoíris, purpurinas, flores

notinhas sobrevoam as nossas cabeças

e se multiplicam em imagens e sons

cachoeiras nos lavam a dor

agora é hora de abrir espaço para o que há de vir

21 de junho de 2021

E vem a tristeza de novo


 e vem a tristeza de novo

me ensinar as delicadezas

de uma existência imperfeita

mas cheia de poesia

até mesmo as lágrimas

são repletas de belezas

são pelas decepções que aprendemos

a valorizar ínfimos

espaços onde é possível ser


19 de junho de 2021

Diálogos fictícios: os muitos bailes da vida



- Sexta sem baile.


- Mas tu não tá ligado? O baile das nuvens. O baile dos sons da cidade. O baile do coração dentro do peito. O baile da respiração. O baile dos sonhos. O baile dos pensamentos. O baile dos sentimentos. O baile da poesia ao redor e adentro. 


- Adorei os seus bailes!


- São seus. 


17 de junho de 2021

Mãos que cuidam

 Nosso mundo está sendo cuidado por muitas mãos cabe cada um permitir-se ser cuidado e cuidar da melhor forma que puder. 

A cada um no seu tempo é chegada a hora da transformação. Cada pequena transformação importa. Existem muitas mãos por trás de cada ato bonito de verdadeira gentileza. 

É chegada a hora de abrirmos os olhos para o amor verdadeiro. Aquele que reside não em um mas no todo e que ansiosamente espera que você acorde e veja o quanto é amado e acolhido, sendo assim possa espalhar esse amor para outros que necessitam. 

Não desperdice esperanças com desesperanças. Não temos tempo para desperdícios de nenhum tipo.



10 de junho de 2021

Poema para quando uma tristezinha surgir


 se um dia a tristeza lhe bater à porta

abra a porta, deixe-a entrar 

e lhe sussurar a sua mensagem

às vezes ela vem 

para que algo dentro de nós acorde

num acorde de dor

essa música que ela toca dentro

ouve suas sutilezas, suas delicadezas, 

seus espinhos, seus mistérios, suas imensidões

pode ser que nasça um sorriso

em meio a toda essa correnteza

cachoeira que vai fluindo

e em cada gotinha dessa queda

um universo se revelará

em quem está disposto à desvendar



8 de junho de 2021

Poema de cantar sóis


olhar o céu e ouvir a cidade 

observar como tudo tem o seu sol

dentro de ti, dentro de cada um 

e ao redor de cada ínfimo

abrir os olhos e os sentidos 

para os sóis que dançam e cantam

dentro de ti, dentro de cada um 

e ao redor de cada ínfimo

ouvir os sons desses soís 

em cada notinha

assim se algum dia faltar sol

sonhe com um sol 

que este te aquecerá

nunca te faltará sol nenhum

mas às vezes parece 

que véus se erguem

só para nos cegar

para esquecermos de solnhar